Você se sente uma impostora, ou impostor?

9f_Le_Corbusier_fev089

Você consegue avaliar e reconhecer o mérito de seu próprio trabalho?

Se você às vezes sente-se fora de sintonia com seu trabalho, se às vezes seus objetivos não te animam tanto quanto você acha que deveriam, ou se de noite, na hora de dormir, algum tipo de vazio, de descontentamento, de saudade de si, ou uma sensação de não ter feito aquilo que devia ter sido feito, assoma à sua consciência, porque não retomar alguma prática que você ama? Explore a relação que essa prática tem com o seu projeto, de escrita ou qualquer prática criativa, como as de minhas amigas e meus amigos arquitetos e designers. Volte a desenhar à mão, ou escrever à mão… Faça o que for preciso…

mas faça todo dia….

Se sente que precisa da energia de um impulso inicial, que tal dedicar um tempo exclusivo a seu trabalho e inscrever-se no Workshop de Escrita: As 5 etapas de Produtividade na Escrita – que ocorre neste sábado, 05 de Outubro? (Informações aqui!)

Alguma vez você já sentiu uma sensação estranha, como se seu trabalho não fosse legítimo o suficiente, como se você devesse ter feito algo a mais, se empenhado mais, sofrido mais para merecer ter o mérito do seu trabalho reconhecido? Sentiu-se fora de sintonia com o que você fez, ou está fazendo?

O compositor russo Dmitry Shostakovich* (1906 – 1975) sofria deste mal, por uma razão peculiar. Conta-se que ele era capaz de conceituar suas composições e então escrevê-las extremamente rápido – ele conseguia às vezes escrever vinte ou trinta páginas praticamente sem correções em um dia.

Eis o que o próprio compositor dizia a respeito dessa sua característica:

“Me preocupo com a rapidez com a qual eu componho” ….

“Indubitavelmente isto é mau. Ninguém deveria compor tão rápido como eu faço. A composição é um processo sério, e, nas palavras de uma bailarina amiga minha, ‘você não pode continuar a galope’. Eu componho a uma velocidade diabólica a não consigo parar… É exaustivo, muito desagradável, e no fim do dia perde-se a confiança no resultado.”

Desconfiar do resultado… Por que isso acontece com alguns de nós, no processo de escrita, ou de projeto?

Talvez Shostakovich não se desse conta, ou não desse valor, ao imenso trabalho a que ele se dedicava a maior parte do tempo. Pessoas próximas a ele, como sua irmã mais jovem, o musicologista Alexei Ikonnikov ou seu colega e amigo Mikhail Meyerovich recordavam, Shostakovich parecia estar compondo o tempo todo, movendo as mãos e expressando de algum modo grandes “tensões internas”.

O compositor talvez não avaliasse a quantidade de atenção que ele provavelmente  despendia em suas composições ao longo dos dias, mesmo quando não estava sentado escrevendo ou tocando.

Atenção é um dos elementos-chave na avaliação de nosso trabalho. E aqui me interesso mais em falar da auto-avaliação. Isso porque, se você se sente comprometida ou comprometido de algum modo com seu trabalho, poderá receber todo o reconhecimento externo do mundo, e ainda assim não se sentir internamente satisfeita ou satisfeito, ou em paz com seu próprio trabalho.

Quanta atenção você dedica a seus projetos ao longo do dia? E quanta atenção a coisas triviais e sem importância? Um bom indicativo que estamos na direção de fazer um bom trabalho, é pensar com frequência a respeito. Estar em sintonia com as coisas, as pessoas e as circunstâncias que possam trazer novos insights para o que você está fazendo. Estar fora de sintonia pode nos levar a sofrer da “Síndrome do impostor”.

Glenn Kurtz em seu livro Practicing: A Musician’s Return to Music, escreve: “Na mente de cada músico esconde-se o medo de que a prática seja apenas tarefismo, e de que ou a pessoa nasce para seu instrumento ou é uma impostora”.**

Kurtz desistiu muito cedo de sua carreira musical, em favor de um emprego convencional, por ter se angustiado irremediavelmente não apenas com seu progresso, mas com o senso de que a ambição e as expectativas não eram o suficiente para motivá-lo a continuar, a despeito de ter tido algum êxito, chegando a ganhar competições.

Como vejo isso? Às vezes percebo nas minhas e nos meus estudantes, e ouso dizer também em amigas e amigos, e mais frequentemente ainda em mim mesma, que “ter um objetivo” (ambições), ou desejar reconhecimento (expectativas), não são motivações suficientemente fortes para nos fazer desejar de fato encaminhar nossos projetos.

Não creio que sejamos pessoas piores ou mais irresponsáveis porque temos andado gastando tempo dando atenção a trivialidades. Talvez às vezes precisemos disso para recuperar o prazer na vida! Talvez tenhamos perdido de vista aquilo que nossa alma pede, que olhemos para dentro. Shostakovich parecia estar imerso dentro de si por muito tempo….

Como fazer para nos reconectarmos com nossa prática? Com nossa escrita, com nossos projetos, de um modo que, não importa de que modo ele seja avaliado externamente, internamente você sabe o significado e a relevância que aquela prática tem ou teve para você?

Glenn Kurtz conta em seu livro como, depois de anos de um trabalho em que se sentia um morto-vivo, ele “deixou sua vida falar”, e retornou a seu grande amor: a música. Mas esse retorno já não tinha conexão com a desejo de alcançar um objetivo externo, ou obter algum tipo de reconhecimento. O retorno se deu a partir de um profundo compromisso com a prática – “um processo de reavaliação contínua, uma tentativa de alcançar crescimento por meio da repetição”, um ato delicado que “nos ensina a doçura, a doçura amarga do prazer do desenvolvimento, do crescimento, da mudança” – dia após dia.

Le Corbusier, um dos mais influentes e controversos arquitetos do século XX,  por exemplo, isolava-se todas as manhãs para pintar, uma atividade a qual ele dava o significado de “soul searching” (busca da alma)..***

Estabelecer um ritual diário de prática pode ser encarado como uma atividade de busca da própria alma. Não estou falando de uma “rotina de trabalho”, mas de um ritual de prática. Se sentir alguma inspiração nestas palavras, reflita a respeito….

Bom trabalho!

Ana Gabriela

  • As informações e o depoimento a respeito do trabalho de Shostakovich utilizadas aqui foram obtidas no livro de Mason Currey, “Daily Rituals”.

** Os comentários sobre o trabalho de Glenn Kurtz foram obtidos a partir da excelente resenha de Maria Popova em seu site brainpickings.org. http://www.brainpickings.org/2015/01/07/glenn-kurtz-practicing/

*** Sobre essas atividades de Le Corbusier, a referência é o livro de Simon Richards, “Le Corbusier and the Concept of Self”.

Fonte da imagem: http://www.mchampetier.com/sitephp/images/9f_Le_Corbusier_fev089.jpg – Le Corbusier – Trois Verres D’aperitif, 1960.

Anúncios

Começando Outubro escrevendo mais e de modo organizado!

Outubro começou!

Isso significa que faltam três meses para acabar o ano, já pensou nisso?

Para quem tem que finalizar um trabalho de escrita, isso significa que está na hora de organizar-se, ou re-organizar-se, para escrever mais, melhor, e se possível sem tanto esforço!

Que tal por uma ordem em seu cronograma utilizando as técnicas do Workshop de Escrita: as 5 fases de produtividade na escrita?

Atualizei recentemente as dicas para estruturação de um cronograma realista e prático para desenvolver e terminar seu texto de uma vez! Você vai se organizar nestes últimos três meses para:

  1. Estabelecer ou revisar seus objetivos;
  2. Levantar e material bibliográfico e materiais de referência;
  3. Sistematizar e analisar as informações que você achou;
  4. Fazer ponderações e chegar a conclusões sobre seu trabalho;
  5. Conferir formatos, prazos e outras formalidades;

Confira clicando aqui!

Vamos continuar trabalhando todos os dias mais um pouco em nossos trabalhos de escrita, para chegar ao final do ano com tudo o que precisa ser feito em ordem!

Abraços e boa semana!!

Ana Gabriela

Dar atenção e tempo ao poder criativo

Screen Shot 2018-08-20 at 8.09.48 AM.png

(Nota manuscrita de Clarice Lispector e Olga Borelli, “Macabéa quando vem para o Rio”.)

Pensando sobre a tarefa da artista, ou do artista, e o comprometimento central com a vida criativa, a poetisa Mary Oliver escreveu:

“As pessoas mais arrependidas no mundo, são aquelas que sentiram o chamado para o trabalho criativo, que sentiram o poder criativo inquieto e revolto, e não lhe deram nem atenção nem tempo.”*

Por outro lado, dar atenção e tempo ao “inquieto e revolto poder criativo” requer coragem, persistência, e algum grau de fé.

Uma parte podemos controlar, por meio de estratégias, esquemas, cronogramas. Instrumentos que nos permitem capturar insights, examinar ideias, desenvolver raciocínios.

Há porém aspectos do poder criativo que não controlamos. São eles que nos tomam, nos instigam, nos angustiam… Mas também nos alimentam a energia vital, nos dando acesso  a particularidades de nós mesmas,  que não podíamos suspeitar que existiam.

Escrever, pintar, compor, projetar… convocam o poder criativo. Exigem, por um lado, a coragem de nos entregarmos ao desconhecido; por outro, a disciplina, de retornar ao trabalho sempre, e produzir mais um parágrafo, mais uma estrofe, mais um desenho, ir um pouco mais adiante.

Nesta noite se segunda-feira, vamos retomar, um dia mais, nossas ideias que foram deixadas apenas alinhavadas, e levá-las adiante. Um parágrafo mais!

Abraços filosóficos e bom trabalho!

Gabi

 

*Mary Oliver, citada por Maria Popova em: https://www.brainpickings.org/?s=work

Imagem retirada do artigo de Adam Joseph Shellhorse, “Figurations of Immanence: Writing the Subaltern and the Feminine in Clarice Lispector”, acessado em: https://quod.lib.umich.edu/p/pc/12322227.0006.012?view=text;rgn=main

Prepare-se para o Workshop de Escrita em 18 de Agosto – Módulo de Planejamento

Screen Shot 2018-08-13 at 21.07.23.png

Nosso Workshop de Escrita está chegando! Está na hora de se preparar para tirar o máximo de proveito deste Sábado (18 de Agosto) em que vamos nos reunir para planejar o trabalho de escrita do semestre!

Primeiro: selecione três textos que sejam referências fundamentais para seu trabalho. Podem ser livros, capítulos de livro, artigo… Os melhores são textos com referências bibliográficas, e de autoras e autores que tenham credibilidade no tema que você está estudando.

Um deles pode ser mais histórico e genérico, outros dois, mais específicos. Mas não se preocupe demais! Escolha três textos interessantes para seu trabalho e pronto!

Segundo: Dê uma olhada neles, folheie-os, examine o sumário. Procure por palavras referenciais, que constam nos títulos e subtítulos dos capítulos, releia trechos interessantes ou que você já tenha sublinhado. Se nunca leu o livro, examine-o pela primeira vez em busca de palavras-chave e procure mapear a ideia geral, veja se encontra uma boa resenha a respeito.

Terceiro: Separe citações nestes livros ou textos. Ponha marcadores (eu uso aqueles coloridos, auto-colantes!), faça breves anotações referentes ao interesse daquela citação. Ponha esses livros numa sacola para trazê-los para o Workshop, dia 18 de Agosto. Vamos trabalhar com eles!

Quer trazer mais de três livros ou textos? Não tem problema! Mas não exagere! rsrs

Bom trabalho de preparação! Se tiver dúvidas, me escreva perguntando! escrita.gabi@gmail.com

 

Abraços e boa preparação! Nos vemos no sábado!

Gabi

P.S. Quer participar do Workshop e ainda não se inscreveu? Escreva para a Chris da Altamira Cultural e inscreva-se! Email: altamira.oficinas@gmail.com ou WhatsApp: (11)94337-2685. Quer saber mais sobre o Workshop? Confira no site: http://www.altamiraeditorial.com.br/hs1/altamiracultural/

 

 

Criando intimidade com seu trabalho

A intimidade com sua escrita é construída por meio de rotinas, ou rituais, se você preferir. Por outro lado, é perdida quando você passa algum tempo longe do seu trabalho.

Pense por exemplo em uma amiga ou amigo a quem você encontrava com frequência, e com quem você gostava muito de conversar. Você já passou pela experiência de ficar algum tempo, ou muito tempo, sem falar com essa pessoa? Quando vocês se reencontraram não foi um pouquinho estranho, um certo descompasso, ainda que só por alguns minutos, antes de restabelecer o vínculo?

Às vezes leva bem mais do que apenas alguns minutos para restabelecer a conexão com alguém.

De certa forma, isso também ocorre com nossos próprios textos. Podemos pensar nos textos que escrevemos como amigas ou amigos com quem estamos sempre encontrando e retomando certos assuntos.

Se interrompemos nossa rotina de reencontros, interrompemos aquele fluxo de pensamentos e também aquelas emoções que as conversas despertavam.

Escrever um texto é um modo muito peculiar de conversar com partes de você mesma. Quando você estabelece um ritual, é como se aquela parte de você te esperasse, e a cada sessão, ocorresse um reencontro. Nem sempre fácil, é verdade. Mas sempre reencontro.

Você pode ler todos os manuais de metodologia, todos os exemplos de boas conclusões em romances, mestrados, doutorados, relatórios, e o que mais lhe aparecer pela frente, e isso não ajudar quase nada na hora de escrever uma conclusão. Pode ouvir sua orientadora ou orientador, conversar com amigos a respeito, e ainda assim sentir-se perdida, ou perdido.

Se você perdeu a a intimidade com seu trabalho, inevitavelmente sentirá aquela sensação bizarra de alienamento, de vazio, na hora de escrever uma conclusão.

Pense num ritmo: quantas horas por semana? que dias? que horários?

Pense num contexto: em que locais? que música? café ou chá?

Pense no significado: que parte de você está sendo mobilizada para o trabalho? A parte que só cumpre tarefas? Ou a parte que se sente feliz com a oportunidade de experimentar algo novo, de conhecer-se a sim mesma em uma nova situação?

Então sente-se e escreva!

Abraços e bom trabalho!

Gabi

Estão abertas as inscrições para meu Workshop de Escrita! Acesse o site: http://www.altamiraeditorial.com.br/hs1/altamiracultural/ ou escreva para: altamira.oficinas@gmail.com  ou WhatsApp: (11) 94337 2685

Você gostaria de receber meus pdfs com estratégias de planejamento e rituais de escrita? Me escreva! escrita.gabi@gmail.com

A citação de Doris Lessing eu tirei de: https://writerswrite.co.za/quotable-35671/

Escrita: Planejando a Semana de Trabalho

Queridas leitoras e leitores,

publiquei no Instagram hoje uma recomendação essencial: três pontos básicos a considerar na hora de planejar a escrita!! Simples e eficaz! Confira:

Screen Shot 2018-08-06 at 6.56.07 PM.png

Sim, se você quiser receber um pdf gratuito com o plano semanal para escrita, é só enviar o SIM para o email acima!

 

Abraços,

Gabi

Para quem está trabalhando até tarde

Queridas e queridos,

uma das séries de posts que sempre adorei fazer e que estou retomando aqui é “Para quem está trabalhando até tarde”. Adoro escrever à noite, e coleciono estratégias para tornar meu trabalho mais prazeroso.

Uma das estratégias são minhas playlists: minhas preferidas são de Jazz. Hoje estou ouvindo Miles Davis “Round Midnight”, que compartilho com as leitoras e leitores que, no momento, estão diante da tela!

 

Semana que vem o blog volta com as dicas habituais de produtividade na escrita.

Um abraço afetuoso e boa noite!

 

Gabi

(Participe dos  meus Workshops de Escrita! O próximo acontece em 18 de Agosto de 2018! Para informações, fale com a Chris, da Altamira Cultural, que está organizando o evento: WhatsApp: (11) 94337 2685 ou email: altamira.oficinas@gmail.com. Seguidores do blog têm desconto! Então aproveite e siga-nos hoje mesmo!)

 

Workshop de Escrita e retorno do blog!!

Querida seguidora, querido seguidor,

eis de regresso nosso querido blog Curso de Escrita!

A espera pelo retorno valeu a pena! Estamos de volta e já na preparação dos Workshops de Escrita, que acontecerão em três datas no segundo semestre de 2018.

Para seguidoras e seguidores do blog, oferecemos um desconto exclusivo! Basta você enviar um email para altamira.oficinas@gmail.com dizendo que você segue o blog cursodeescrita.wordpress.com. A Chris, da Altamira Cultural, é quem receberá seu email. Ela vai te comunicar os descontos que você pode obter dependendo do plano que escolher!!

Este desconto é exclusivo para contato via e-mail, mas você pode enviar um WhatsApp para a Chris para esclarecer qualquer dúvida: (11) 94337 2685

Se você ainda não segue o blog, eis a sua chance! Basta clicar em “seguir” ou “follow” , que aparece lá no fim da página no modo visualização completa.

Não perca!! Vagas limitadas!!

18 DE AGOSTO DE 2018 

WORKSHOP DE ESCRITA: ESTRATÉGIAS DE ORGANIZAÇÃO E PRODUTIVIDADE NA ESCRITA

Organização: Altamira Cultural

 

Nos dias de hoje, mais do que nunca, são as suas habilidades de se comunicar bem, e por escrito, que vão fazer a diferença!

Neste semestre fui convidada pela Altamira Cultural a oferecer meus workshops de escrita! Serão três módulo, sempre aos sábados das 10h às 16h,  dedicados a estratégias de organização e produtividade da escrita. Estou super animada!! Abaixo, os módulos e datas:

Módulo 1 (18 de Agosto):  o tema do primeiro módulo será  a elaboração de um plano concreto e realista para seu projeto de escrita neste semestre;

Módulo 2 (06 de Outubro): o segundo módulo será dedicado ao desenvolvimento do seu trabalho no meio do semestre;

Módulo 3 (01 de Dezembro): o terceiro módulo vai ser dedicado à finalização do seu trabalho escrito.


Nestes workshops você vai se beneficiar de exercícios práticos testados e aprovados por dezenas de profissionais! Vou compartilhar técnicas eficientes para auxiliar pesquisadores e profissionais a desenvolver rapidamente habilidades de escrita.

Já no módulo 1, você vai sentir sua auto-confiança aumentar!

  • Ajustando o foco para escrever com objetividade
  • Estruturando suas ideias de modo visual e claro
  • Montando um cronograma realista
  • Criando um mapa pessoal de organização da sua escrita

 PROGRAMA DO WORKSHOP MÓDULO 1

 MANHÃ – 10h às 12h00

Café de boas-vindas (com quitutes artesanais preparados especialmente para a ocasião!)

Introdução: o papel da escrita na vida profissional: escrever é poder!

  1. Sobre o que você precisa escrever? Ajuste o foco no seu assunto;
  2. Falando dos números da escrita. Qual o seu prazo? Qual o tamanho que seu texto deve ter?
  3. Fazendo um esquema visual para integrar conteúdo, prazo e tamanho;

ALMOÇO – 12h00 às 13h30

Uma simpática refeição, leve e nutritiva, preparada exclusivamente para o Workshop e com todo o carinho espera nossas alunas e alunos!

 TARDE – 13h30 às 16h00

Pra que serve um interlocutor? A importância de não trabalhar sozinha(o);

Café da tarde: mais quitutes caseiros e um bom café para inspirar o pessoal!

Um bom resumo pode ser um bom começo!

Conclusão e questões para refletir em casa.

Aviso! O conteúdo do curso não envolve questões técnicas da escrita como normas de citação bibliográfica, regras gramaticais, ortografia, formatação, diagramação ou revisão.

 SÁBADO, 18 DE AGOSTO DE 2018

Rua Artur Bernardes, 252 – Tatuapé , São Paulo SP

 Para mais informações sobre a inscrição e forma de pagamento escreva para a Altamira Cultural:

WhatsApp: (11) 94337 2685

Email: altamira.oficinas@gmail.com

De onde você tirou esta ideia???

Você já não usou esta expressão alguma vez na sua vida? Se alguém chega pra você com alguma ideia, ou afirmação, digamos, surpreendente, é natural que você queira saber de onde a pessoa tirou aquela ideia, ou seja, como conseguiu a informação.

Você provavelmente vai dar mais credibilidade à informação se ela foi retirada de um jornal com boa reputação, e menos credibilidade se disser que ouviu um determinado colega comentando isso no café.

Mas dará ainda mais crédito à sua informante se ela mencionar uma pessoa de referência e credibilidade, e for inclusive capaz de mostrar pra você o livro, a revista, ou site (de credibilidade), em que a informação ou ideia está registrada.

Em seu trabalho de pesquisa é a mesma coisa. Uma grande parte da sua credibilidade vem da fonte como você conseguiu a informação, e do modo como você a levantou.

Por essa razão, dedicamos esta segunda semana de Outubro à nossa fase 2 de trabalho: Levantamento de dados!

Abaixo, o exercício para download.

Abraços e bom trabalho!

Ana Gabriela

Fonte da imagem: https://s3.amazonaws.com/assets.forward.com/images/cropped/w-lecorbusier-072615-1437751445.jpg

Tornar seu desconhecido, conhecido…

Georgia O’Keefe (1974), por Laura Gilpin

“Se você será bem-sucedida ou não, é irrelevante, não existe isso. Tornar seu desconhecido, conhecido, é o que importa.” Georgia O’Keeffe

Primeira semana do mês, hora de rever os objetivos de seu trabalho. É sempre útil voltar a refletir um pouco sobre o que nos fez estabelecer esse objetivo, quais são nossas motivações com esse trabalho, que tipo de produto final esperamos obter.

A frase de O’Keeffe que escolhi para o post de hoje me ajuda também a reforçar o seguinte: o mais importante de seu trabalho é o que de fato ele revelou sobre você, para você.

Procure, nesta primeira semana de Outubro, pensar um pouco em seus objetivos em termos de um diálogo interno, esqueça um pouco o público. Este é o exercício inverso ao que eu propus anteriormente. Explico por quê.

A primeira fase de um trabalho, esta em que nós estamos esta semana, pressupõe o estabelecimento de um ponto de partida interno, uma motivação e uma agenda pessoal. Sem interessar-se pessoalmente por seu trabalho, dificilmente seu resultado será interessante. Em todo caso, qual o sentido de dedicar-se a um trabalho pelo qual você não se interessa?

O exercício de hoje propõe explorar um pouco seus interesses pessoais. Baixe o pdf aqui!

Fase1_Objetivos(03OUT)

Abraços e até semana que vem!

Ana Gabriela

 

Fonte da imagem: http://www.artnet.com/artists/laura-gilpin/georgia-okeeffe-0HHDSNXHaO0DGub24Ldf2w2

Fonte da citação: http://www.azquotes.com/quote/343413